Fale conosco pelo WhatsApp

Cirurgia de nódulo no fígado: como é feita?

Ilustração de nódulo de fígado - Cirurgia de nódulo no fígado
04/11/2021
Alguns tipos de nódulo no fígado podem requerer tratamento cirúrgico, outros não. Entenda melhor o assunto.O fígado é o maior órgão sólido do corpo humano. Está localizado do lado direito do abdômen, atrás das costelas e abaixo do diafragma. É um dos órgãos indispensáveis para o funcionamento adequado do corpo. Ele atua na regulação de funções primordiais do organismo.

Algumas doenças podem se manifestar pelo aparecimento de nódulos no fígado. Nódulo é um termo genérico utilizado para designar lesões / tumores sólidos, geralmente maiores que 1 centímetro. Quando falamos em nódulo no fígado, podemos estar diante de uma grande variedade de doenças. Cada uma delas terá comportamento e tratamento diferentes.

Portanto, quando estamos diante de um nódulo no fígado, a primeira coisa que precisamos saber é que tipo de nódulo se trata. Ou seja, sobre qual doença estamos falando de fato.

A cirurgia de nódulo no fígado pode ser indicada em alguns casos. Em outras situações, apenas o acompanhamento pode ser suficiente. Entenda melhor esses detalhes no texto abaixo.

Fígado: sua relevância para nossa saúde

A preocupação com a ocorrência de nódulos no fígado se deve à enorme importância deste órgão para a nossa sobrevivência e o potencial de gravidade de algumas doenças.

Algumas das funções desempenhadas pelo fígado são:

  • Metabolização e armazenamento de nutrientes absorvidos pelo intestino no processo de digestão;
  • Filtragem e remoção de substâncias tóxicas do sangue, a exemplo de medicamentos, álcool e outros;
  • Produção de bile para auxiliar no processo digestivo;
  • Produção das substâncias responsáveis pela capacidade de coagulação do sangue.

O órgão conta com uma capacidade incomum, em se tratando do organismo humano: regeneração. Pode-se retirar, via cirurgia, uma parte relativamente grande dele e, após algumas semanas, o fígado se regenerará e voltará a ter aproximadamente o tamanho próximo de antes da intervenção.

Cirurgia de nódulo no fígado: nem sempre necessária

Na maior parte das vezes, o nódulo no fígado tem caráter benigno. Não é perigoso e não apresenta sintomas. Por esse motivo, não raro é descoberto apenas acidentalmente, em exames de rotina. Em condições assim, não deve ser extraído cirurgicamente, mas apenas observado regularmente.

Alguns exemplos são nódulos compatíveis com hiperplasia nodular focal, hemangiomas e a maioria dos adenomas. Para mais detalhes, veja nossa página sobre tumores benignos do fígado.

Há situações, no entanto, nas quais se faz necessária a cirurgia de nódulo no fígado. Nas doenças de caráter maligno, ou seja, casos de câncer, a cirurgia poderá ser empregada frequentemente.

Como é feita a cirurgia de nódulo no fígado?

A cirurgia de nódulo no fígado poderá envolver a retirada apenas do nódulo ou de uma parte maior do órgão. Isso dependerá do tipo de doença em questão, tamanho e número de nódulos, e sua localização no fígado.

É importante ressaltar que qualquer cirurgia de fígado é sempre um procedimento delicado e que merece atenção. Por se tratar de um procedimento de alta complexidade, a ressecção hepática deve ser realizada por um cirurgião especializado em cirurgia hepatobiliopancreática e em um hospital de grande porte que ofereça todos os recursos necessários.

Alguns tipos de ressecção hepática podem ser mais desafiadores que outros. Cirurgias em pacientes portadores de cirrose, por exemplo, são tecnicamente mais complexas e trazem maior risco de complicações. Cirurgias para tratamento de colangiocarcinoma, especialmente quando há invasão de estruturas vasculares, estão entre as cirurgias de fígado de maior dificuldade e só devem ser realizadas por uma equipe especializada. Para mais detalhes veja nosso post sobre cirurgia de fígado.

Nódulo no fígado: consulte um especialista

No tratamento de nódulos no fígado e demais doenças hepáticas, você pode contar com um dos principais especialistas na área: o Dr. Iron Pires. O médico especializou-se nesta área específica do segmento das cirurgias digestivas: a cirurgia hepatobiliopancreática, voltada ao tratamento de doenças benignas ou malignas que afetem o fígado, o pâncreas e as vias biliares.

Fontes:

Sociedade Brasileira de Hepatologia;

Dr. Iron Pires.